2 de janeiro de 2010

2010

Que as mais de sete ondas que pulei façam 2010 ser o tipo de ano com tantas coisas boas que seja quase impossível lembrar de todos os verbos. A vida já me ensinou bastante ano passado. Preciso de um ano pra errar mais e me punir menos. Errar pra melhor. Sim, eu descobri nos últimos segundos de 2009 que é possível fazer tudo errado sentindo que está tudo no lugar certo. Saber que mesmo parecendo - e por que não, sendo - errado, é o que de melhor poderia ser feito. E só depois a gente percebe que até de cactos cobertos com espinhos pode surgir um coração. Aquilo que alguns chamam de destino... Eu prefiro chamar de bons dias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário