19 de abril de 2010

...

É com um aperto no peito de um tamanho que não dá pra explicar que vejo mais um colega partir. E não importa se falávamos vinte quatro horas por dia ou só olá. O que dói é nem poder dizer adeus. A morte ainda me assusta e me revolta. Por quê? Por que uma guria de 20 anos que estava vivendo a sua vida, planejando um futuro, agora não respira mais? E por que um cara com a vida ganha tirou a dela? Quem é responsável por tudo isso? Qual é o sentido de viver?
Fico confusa. Eu só precisava desabar. Só.

Nenhum comentário:

Postar um comentário