25 de janeiro de 2011

tenha dó


Uns 19 meses sem te ver e é impressionante como ainda parece que foi ontem nosso beijo de despedida. O último abraço, o último se cuida, a última vez que fomos nós. Onde o eu te amo ficou e deu lugar ao nunca mais. Eu continuo escrevendo sobre você, porque é em você que penso todas as noites antes de dormir. É contigo que ainda sonho e acordo aflita, tentando imaginar como seria se. Como seria se tivéssemos feito tudo diferente. A minha vida talvez não estivesse tão encaminhada, mas esse peso que carrego comigo não existiria. Eu nunca fui muito fã desses "what if", mas como não te tenho no meu presente é o melhor que posso fazer. Eu sempre acho que vou te esquecer ou que deixei de ser parte da nossa história, mas vem uma música e me joga na cara a verdade crua. Eu amei uma vez na vida. E amor não acaba, só muda de lugar. Ainda lembro da tua sala, sem nada. Uma cadeira, um computador e um vazio imenso. Era o eco do que seríamos dias depois. Da tua janela eu via uma cidade cheia de prédios e vidas num caos profundo. Hoje, sou eu aqui embaixo. A cozinha apertada, o espaço perfeito pra vivermos pra sempre. Ficou tudo grande demais, complicado demais, sério demais. Teu apartamento não tinha mais espaço pra duas vidas com tantos sonhos e medos. Foi assim que eu parti pra sempre. Mas ainda lembro pra onde voltar...


"Quase perfeito nosso amor, não fosse o final..."

3 comentários:

  1. não preciso nem comentar nada.
    Apenas sinto o que tu sente!

    uau! heuhueueuhueuhe
    é complicado amiga, muito muito!

    ResponderExcluir
  2. Nada é eterno - e o que faz do amor exceção?

    ResponderExcluir
  3. "Nada é eterno - e o que faz do amor exceção?"

    A nossa própria vontade de alimentá-lo... aff

    ResponderExcluir