6 de agosto de 2012

Notas de rodapé

Tudo o que tu tocas com as mãos vira cinzas. Tudo o que tu cantas com amor vira perfeição. E eu amo essa contradição de uma forma que não posso explicar. E nem preciso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário