25 de fevereiro de 2015

OK Computer


É com pesar e lágrimas nos olhos que volto aqui, depois de pouco mais de um ano, para desabafar. Não que durante esse tempo não tenham acontecido mais daquelas histórias cheias de fins, de tragédia e inocência derramada por caras que nem sequer sabem disso. Mas agora aconteceu de novo o que nem o melhor roteirista de novela mexicana imaginaria: encontrei o clone de um fantasma. Ou um protótipo de um fantasma, como acharem melhor. Voltei porque meu coração está despedaçado, novamente sangrando por nada menos que um babaca. É triste saber que uma pessoa que não merece minha inocência conseguiu tirar minhas qualidades, ofuscar meu brilho e voltar meus defeitos contra mim. Uma pena que eu só tenha percebido agora, com o brilho de uma aliança na mão. Não na minha. Eu nunca vou entender essa minha vocação para "a outra". Parece um karma que me persegue, sem eu nunca ter feito nada que justifique tal fetiche da vida por me foder em qualquer tipo de relacionamento que eu tente estabelecer. Novamente, eu me apaixonei por um babaca. Dessa vez foi um pouco diferente. Eu realmente fui enganada e a culpa não foi minha. Aquela história de "abri meu coração como se fosse um motor e na hora de voltar sobravam peças pelo chão". Sem saber, cada babaca que passou pela minha vida foi criando monstrinhos dentro de mim. Quanto mais o tempo passa, maiores eles ficam. Tenho medo do dia que eles sejam tão grandes que não deixem ninguém se aproximar. Eu sou uma eterna apaixonada, que gosta de sonhar (mesmo com babacas). Eu realmente gosto de pensar que em algum lugar, seja no outro lado do mundo, seja aqui ao lado, existe um cara que me aceite como eu sou e que reserve um espacinho único para mim. Chega um momento da vida que ninguém mais quer ser "só mais uma" ou aceita ouvir um "daqui a 7 anos". De volta de mais uma batalha, perdida e tomada por feridas, eu prometo: não vou deixar me embrutecer, mas também não deixarei que qualquer babaca entre no meu mundo tão facilmente e faça o estrago que esse fez. Mas agradeço, de coração, por ter me lembrado do meu mantra: "everybody lies". De agora em diante (e que minha memória não me deixe esquecer disso tão cedo), sou eu em primeiro lugar. Não vou mudar, não vou ceder, não vou aceitar menos do que mereço. Se isso for demais para os babacas que encontro por aí, tudo bem. Eu realmente tenho apreciado muito minha companhia. Achei que você era um cara exótico, bonitinho, romântico. Mas era só mais um babaca mimado que acha que pode ter tudo. E o pior é que pode mesmo.

"Não vou me deixar embrutecer
Eu acredito nos meus ideais
Podem até maltratar meu coração
Que meu espírito 
Ninguém vai conseguir quebrar"